Residência do IAMSPE têm o apoio da Fundação IDI

Com apoio da Fidi, residência do IAMSPE apresenta mais de 100 trabalhos científicos e aulas em congressos e cursos de radiologia

Investimento de mais de R$ 1 milhão de reais se reflete em serviço, educação e pesquisa. Curso será agora implementado no Complexo Hospitalar do Mandaqui.

Para oferecer serviço de excelência em exames de diagnóstico por imagem, a Fundação IDI sempre apostou na tríade: assistência, educação e pesquisa. Uma das iniciativas bem-sucedidas que conseguiu agrupar as três propostas de forma complementar é a parceria que mantém com o IAMSPE (Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual). Em julho de 2008, após iniciar o contrato com a instituição, a Fundação decidiu reerguer o Curso de Residência em Radiologia do hospital, que estava com possibilidade de ser fechado pelo Ministério da Educação.

Como os equipamentos estavam ultrapassados, adquirimos novo parque tecnológico, contratamos preceptores para laudar os exames, além de acompanhar os alunos, e reabrimos o Centro de Estudos, com renovação de computadores e biblioteca“, aponta Denis Szejnfeld, gerente médico da Radiologia Intervencionista e da Residência Médica da Fundação IDI e responsável pela reestruturação do curso.

Seis anos depois, a parceria segue com excelentes resultados e investimentos de mais de R$ 1,3 milhão neste período. Além da taxa de aprovação dos alunos no Colégio Brasileiro de Radiologia superar os 95%, o centro de estudos contabiliza 45 trabalhos científicos e 60 aulas ministradas nos principais cursos médicos do país. “Estamos satisfeitos com o que vem acontecendo, nos anos 70, 80, o curso do IAMSPE era referência no país e conseguimos resgatar esse status. Nossos alunos encontram posição de destaque no mercado de trabalho. Também colecionamos pesquisas de relevância, inclusive com menções e prêmios“, destaca César Amaral de Camargo, atual coordenador e ex-residente do curso.

Os alunos, segundo Szejnfeld, optam por trabalhos científicos com foco em temas pertinentes de saúde pública, como câncer de mama, próstata, tumores ósseos, doenças do esôfago, vasculares, entre outras enfermidades. “Como estamos nas redes públicas e em grandes hospitais, há uma variedade de doenças e casos a serem estudados, cenário ideal para que o residente possa ter uma visão abrangente e adquira habilidades para lidar com todos os tipos de doenças. Há ainda um material humano fantástico para o desenvolvimento de pesquisas qualificadas que buscam resolver situações do cotidiano“, afirma Szejnfeld.

No IAMSPE, a Residência em Radiologia disponibiliza 10 vagas para R1, R2 e R3. No curso, com duração de três anos, os residentes ingressam por meio de prova e entrevista. Atualmente, todos recebem uma bolsa de estudo. Recentemente a Fundação IDI teve outra conquista, abriu 03 vagas de R4 com aprovação do CBR, especialização para quem quer seguir na área.

Mais especialistas
Num cenário onde se formam 15 mil médicos por ano, mas que oferece apenas 11.250 vagas de Residência, o trabalho da Fundação IDI no IAMSPE reforça sua importância no panorama da saúde pública brasileira.

Assim como faltam médicos em todas as áreas, a Radiologia não é exceção. Antes, como lembra o Dr. Denis Szejnfeld, os hospitais e as universidades possuíam poucas cadeiras nessa especialidade, pois a própria Radiologia tinha um papel restrito. Hoje, além da tecnologia de ponta dos equipamentos que auxiliam no diagnóstico, prevenção e intervenções, o setor tem de ser 24 horas, funcionar com agilidade. “Passamos de área secundária para indispensável. Hoje os radiologistas estão de plantão, participam de reuniões multidisciplinares. São peças fundamentais na escolha do melhor tratamento para o paciente“, esclarece.

Ao contrário de outras instituições de ensino, o curso da Fundação IDI tem um perfil diferenciado de aluno. “É interessante porque conseguimos trazer recém-formados de várias regiões do país, o que torna o trabalho ainda mais completo, já que cada um vem com sua experiência regional“, destaca Camargo.

Curso na Zona Norte de São Paulo
A experiência que deu certo no IAMSPE começou a ser implementada no Conjunto Hospitalar do Mandaqui. O curso de residência também será apoiado pela Fundação IDI. Ainda em fase de estruturação, irá ofertar cinco vagas na Residência em Radiologia.
Segundo Szejnfeld, a Fundação tem toda a capacidade para se transformar num grande centro de formação profissional: “Ainda é uma ideia, mas é possível estender até para outras áreas carentes de formação neste ambiente, como técnicos, tecnólogos, biomédicos, auxiliares de enfermagem e profissionais de Tecnologia“.

Para o gerente médico da Radiologia Intervencionista da Fundação IDI, é essencial que as instituições brasileiras se atentem a incentivar pesquisas na área da saúde e o desenvolvimento de cursos na área da educação. “Quando temos assistência adequada e abrangente, as possibilidades para o ensino e pesquisas se abrem e todo o sistema acaba sendo complementado, fechando um triângulo perfeito que engloba serviço de qualidade, pesquisa e educação“, opina.