ícone do acesso a informação

5 principais ameaças cibernéticas na saúde.

Nos últimos anos, a tecnologia desempenhou um papel cada vez mais significativo na modernização dos sistemas de saúde. No entanto, essa evolução também trouxe consigo uma série de desafios, especialmente no que diz respeito às ameaças cibernéticas na saúde. As organizações de saúde enfrentam ameaças constantes que visam comprometer a integridade e a confidencialidade dos dados dos pacientes. Neste artigo, vamos analisar as cinco principais ameaças cibernéticas enfrentadas pelos sistemas de saúde, com foco em ataques de ransomware e violações de dados médicos.

Conheça as 5 principais ameaças cibernéticas na saúde.

  1. Ataques de Ransomware: Um Perigo Crescente.

Os ataques de ransomware representam uma das maiores ameaças cibernéticas na saúde. Nesse tipo de ataque, os hackers infectam os sistemas de uma organização com um software malicioso que criptografa os dados, tornando-os inacessíveis. Esses ataques podem paralisar as operações de uma instituição de saúde, interrompendo o acesso aos registros médicos dos pacientes e comprometendo a continuidade do atendimento.

  1. Violações de Dados Médicos: Protegendo a Confidencialidade do Paciente.

As violações de dados médicos são outra ameaça cibernética na saúde enfrentada pelos sistemas. Os dados médicos são altamente sensíveis e podem incluir informações pessoais, históricos médicos, resultados de exames e até mesmo informações financeiras. Quando esses dados são comprometidos devido a falhas de segurança, os pacientes correm o risco de ter sua privacidade violada e de serem vítimas de roubo de identidade.

  1. Fraudes e Phishing: Engenharia Social em Ação.

As fraudes e ataques de phishing também representam uma ameaça séria para os sistemas de saúde. Os criminosos cibernéticos usam técnicas de engenharia social para enganar os funcionários das instituições de saúde e obter acesso não autorizado a sistemas e dados confidenciais. Isso pode incluir o envio de e-mails falsificados que se fazem passar por comunicações legítimas da organização de saúde, levando os funcionários a divulgarem informações de login ou clicarem em links maliciosos. Uma vez que os hackers obtenham acesso, podem realizar atividades fraudulentas ou roubar dados sensíveis.

  1. Vulnerabilidades em Dispositivos Médicos Conectados: Desafios da IoT na Saúde.

Com o aumento da Internet das Coisas (IoT) na área da saúde, surgem novas preocupações com a segurança. Dispositivos médicos conectados, como bombas de infusão e monitores de pacientes, podem ser alvos de ataques cibernéticos se não forem adequadamente protegidos. Vulnerabilidades nesses dispositivos podem ser exploradas por hackers para interromper tratamentos médicos, alterar dosagens de medicamentos ou até mesmo causar danos físicos aos pacientes.

  1. Ataques de Negação de Serviço (DDoS): Interrompendo o Acesso aos Serviços de Saúde.

Os ataques de negação de serviço (DDoS) representam uma ameaça cibernética na saúde significativa para os sistemas, pois podem interromper o acesso aos serviços online essenciais. Esses ataques sobrecarregam os servidores de uma organização com tráfego malicioso, tornando os sistemas inacessíveis para usuários legítimos. Como resultado, os pacientes podem enfrentar dificuldades para agendar consultas, acessar resultados de exames ou até mesmo receber tratamentos médicos emergenciais.

As organizações enfrentam uma variedade de ameaças cibernéticas na saúde que podem comprometer a segurança e a privacidade dos dados dos pacientes. É essencial a adoção de medidas proativas para proteger os sistemas e mitigar o risco de ataques cibernéticos. Isso inclui investir em tecnologias de segurança robustas, fornecer treinamento adequado aos funcionários e implementar políticas de segurança cibernética rigorosas. Ao priorizar a segurança cibernética, os sistemas de saúde podem garantir a integridade e a confidencialidade dos dados dos pacientes, promovendo assim uma prestação de cuidados de saúde segura e eficaz.

Como a FIDI atua nesse contexto de ameaças cibernéticas na saúde?

Na FIDI, a segurança dos dados é uma prioridade fundamental. Seguimos rigorosamente todas as diretrizes estabelecidas na Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), Nº 13.709 de 2018, demonstrando um compromisso sólido com a responsabilidade e a confiança de todos aqueles que fazem parte da nossa história. Conheça nossa política de privacidade.

Como operadores dos dados pessoais coletados dos pacientes das unidades de saúde que atendemos, garantimos a proteção e a integridade dessas informações, cumprindo com o papel de assegurar os direitos dos titulares de dados. Estamos em constante vigilância e investimos em tecnologias de segurança robustas e em treinamento adequado para garantir a segurança cibernética e a privacidade dos dados, promovendo assim uma prestação de cuidados de saúde segura e confiável e longe de ameaças cibernéticas na saúde.

Quer entender melhor sobre LGPD? Acesse nosso E-book. Ou se preferir, entre em contato e saiba quais são as principais ações da FIDI em relação à segurança cibernética.

Conheça a FIDI

Converse conosco por  E-mail

Ou fale diretamente pelo Whatsapp

Avanços e desafios da Inteligência Artificial na Gestão Completa de Diagnóstico por Imagem.

A Inteligência Artificial (IA) tem sido uma revolução em diversos setores, e a área da saúde não é exceção. Com o potencial de transformar diagnósticos, tratamentos e gestão de cuidados de saúde, a IA é cada vez mais adotada em hospitais, clínicas e laboratórios ao redor do mundo. Neste artigo, exploraremos os avanços, desafios e impactos do uso da Inteligência Artificial na Gestão Completa de Diagnóstico por Imagem, destacando suas principais aplicações e benefícios.

Avanços Impulsionados pela Inteligência Artificial na Gestão Completa de Diagnóstico por Imagem.

Em relação a Detecção de Doenças, a IA tem se mostrado altamente eficaz no diagnóstico médico, ajudando os profissionais de saúde a identificar doenças com maior precisão e rapidez. Algoritmos de aprendizado de máquina podem analisar grandes quantidades de dados médicos, como exames de imagem, históricos clínicos, resultados de testes laboratoriais e fornecer insights valiosos para os médicos. Isso possibilita a detecção precoce de doenças, como câncer, doenças cardíacas e distúrbios neurológicos, aumentando as chances de tratamento eficaz e melhores resultados para os pacientes.

Já sobre medicina personalizada, a IA permite o desenvolvimento de abordagens na Gestão Completa de Diagnóstico por Imagem, levando em consideração características genéticas, histórico médico individual e outros fatores relevantes para a prescrição de tratamentos específicos. Algoritmos de IA podem analisar dados de pacientes e identificar padrões que ajudam a determinar quais terapias são mais eficazes para determinadas condições, otimizando o tratamento e reduzindo efeitos colaterais indesejados.

É utilizada também para suporte à decisão clínica, já que sistemas de IA podem fornecer um auxílio valioso aos médicos durante o processo de tomada de decisões. Por meio da análise de dados médicos e evidências científicas, essas ferramentas podem sugerir opções de tratamento, alertar sobre interações medicamentosas e ajudar na prevenção de erros. Isso promove a prática baseada em evidências, melhorando a qualidade dos cuidados de saúde, aprimorando a Gestão Completa de Diagnóstico por Imagem e reduzindo riscos para os pacientes.

Desafios a serem Superados na Implementação da Inteligência Artificial na Gestão Completa de Diagnóstico por Imagem.

Embora o uso da IA na saúde apresente inúmeros benefícios, também enfrenta desafios e levanta questões éticas. Alguns pontos importantes a serem considerados incluem a privacidade e segurança de dados. O uso da IA requer o acesso a grandes quantidades de dados de saúde, o que pode comprometer a privacidade e a segurança dos pacientes. É essencial garantir que os dados sejam adequadamente protegidos e utilizados de forma ética, seguindo as diretrizes de consentimento informado e anonimização dos dados. A FIDI já trabalha com essa proteção de dados na Gestão Completa de Diagnóstico por Imagem que presta a instituições de saúde.

Outro ponto a ser destacado são a responsabilidade e a transparência: Os sistemas de IA devem ser transparentes em relação ao seu funcionamento e decisões. Os profissionais de saúde devem ter a capacidade de compreender e questionar as recomendações e resultados fornecidos pelos algoritmos de IA. A responsabilidade pelos erros e decisões tomadas com base nas informações fornecidas pela IA também é um aspecto importante a ser considerado.

O uso da Inteligência Artificial na Gestão Completa de Diagnóstico por Imagem tem o potencial de revolucionar a forma como os cuidados são entregues e gerenciados. Com a capacidade de processar grandes volumes de dados, identificar padrões e fornecer insights valiosos, a IA pode melhorar a eficiência, a precisão e a qualidade dos cuidados de saúde.

No entanto, é fundamental abordar os desafios e considerações éticas associadas ao uso da IA na Gestão Completa de Diagnóstico por Imagem. A colaboração entre profissionais de saúde, pesquisadores, desenvolvedores de IA e reguladores é essencial para garantir que os sistemas de IA sejam desenvolvidos e implementados de maneira responsável, ética e equitativa.

À medida que a IA continua a evoluir, novas oportunidades e desafios surgirão. É necessário um acompanhamento contínuo e uma abordagem cuidadosa para maximizar os benefícios e mitigar os riscos do uso da Inteligência Artificial na saúde, sempre com o objetivo de melhorar a vida dos pacientes e impulsionar avanços na medicina.

Quer continuar essa discussão conosco? Então entre em contato pelo e-mail “comercial@fidi.org.br” ou fale diretamente pelo Whatsapp.

 

Telerradiologia: impacto positivo na redução de custos na saúde.

No cenário em constante evolução da tecnologia na área da saúde, a telerradiologia não apenas revolucionou os métodos tradicionais de diagnóstico por imagem, mas também se destaca como uma aliada crucial na busca por eficiência e redução de custos. Neste contexto, exploraremos o impacto positivo dela na otimização de processos e na significativa economia financeira para instituições de saúde.

Como a telerradiologia ajuda na redução de custos e otimização de processos.

Antes restrita a ambientes hospitalares e clínicas, a telerradiologia agora transcende fronteiras físicas, conectando especialistas a pacientes em qualquer parte do mundo. Essa democratização do acesso à expertise médica não apenas acelera os processos de diagnóstico, mas também permite uma abordagem colaborativa e integrada no cuidado ao paciente.

Um de seus benefícios mais evidentes é a redução de custos operacionais para instituições de saúde. A eliminação das barreiras geográficas significa que os exames podem ser enviados a especialistas altamente qualificados, independentemente de sua localização física. Isso não apenas acelera o tempo de resposta para diagnósticos, mas também reduz a necessidade de contratação local de especialistas em radiologia, resultando em economias substanciais.

Além disso, a telerradiologia proporciona uma eficiência notável nos processos internos. A transmissão eletrônica de imagens reduz os tempos de espera, minimiza a possibilidade de erros e permite a análise rápida e precisa dos exames. Isso não apenas melhora a qualidade do atendimento ao paciente, mas também otimiza o uso de recursos, desde equipamentos até o tempo dos profissionais de saúde.

Telerradiologia da FIDI e a Central de Laudos.

A telerradiologia da FIDI é uma solução eficiente que utiliza um sistema de imagens digitais, permitindo que os exames sejam capturados, armazenados e transmitidos por meio de redes de comunicação seguras de alta velocidade. Dessa forma, oferecemos agilidade na emissão de laudos.

A qualidade dos laudos é garantida por uma equipe de médicos radiologistas especializados, que podem atuar em qualquer lugar do mundo (emissão de laudos de exames de imagem à distância). Graças a isso, conseguimos atender às necessidades de diversas instituições.

Garantimos excelentes SLA’s de entrega com tecnologia de última geração e uma equipe altamente qualificada que atua 24 horas por dia, 7 dias por semana. Seguimos protocolos rigorosos que asseguram a precisão dos diagnósticos e a segurança dos pacientes.

Com a telerradiologia da FIDI você terá:

● Implementação de tecnologias e Inteligência médica, gerando maior agilidade e confiança para decisões clínicas;
● Redução do número de exames desnecessários;
● Aumento do giro de leito;
● Otimização de receitas e diminuição de custos para o Hospital ou Clínica;
● Padronização de processos e qualidade no atendimento;
● Equipe de suporte para apoio aos médicos, enfermeiros e técnicos.

Quer saber mais sobre como a telerradiologia da FIDI pode ajudar seu Hospital ou Clínica? Entre em contato pelo e-mail comercial@fidi.org.br ou pelo telefone WhatsApp.

Tendências para o setor de Diagnóstico por Imagem em 2024.

Em 2023, o setor de diagnóstico por imagem experienciou um notável avanço e adaptação, marcado por um crescimento contínuo e significativo impulsionado pela demanda crescente por diagnósticos mais precisos e rápidos. Este impulso foi uma resposta à tendência global de aceleração de processos e resultados na área da saúde. A tecnologia desempenhou um papel crucial nesse progresso, com inovações contínuas em equipamentos de imagem, como tomografia computadorizada, ressonância magnética e ultrassonografia, elevando a qualidade e a precisão dos diagnósticos.

Além disso, a pandemia continua influenciando como um catalisador para a adoção acelerada de tecnologias emergentes, como inteligência artificial e telemedicina, que se integraram rapidamente aos ambientes hospitalares e clínicos. Essas soluções foram implementadas não apenas para otimizar os processos de diagnóstico por imagem, mas também para facilitar o acesso a cuidados médicos, especialmente em regiões remotas ou de difícil acesso. A inteligência artificial, em particular, desempenhou um papel essencial na análise avançada de imagens médicas, oferecendo insights mais precisos e rápidos para os profissionais de saúde, agilizando o tempo de resposta e a tomada de decisões clínicas.

Tendências no setor de Diagnóstico por Imagem em 2024.
Hospital Municipal de Osasco.

Foi muito discutida também a Importância de uma Estratégia de Saúde Digital (ESD) em âmbito nacional.  A Estratégia de Saúde Digital, conforme preconizada pela OMS/UIT, busca resolver desafios de saúde por meio da aplicação de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), alinhando-se ao planejamento do sistema de saúde. No Brasil, coordenada pelo DATASUS/SE/MS, visa ser uma guia viável e inspiradora para unificar esforços públicos e privados, impulsionando a transformação da Saúde Digital.

Esse período não apenas testemunhou avanços tecnológicos, mas também demandou uma maior integração entre os sistemas de saúde e a indústria de diagnóstico por imagem, incentivando colaborações estratégicas entre fabricantes de equipamentos, provedores de saúde e empresas de tecnologia. Essas parcerias visam impulsionar a inovação, aprimorar a eficiência dos serviços e expandir o alcance dos cuidados médicos, culminando em um panorama mais robusto e acessível para o diagnóstico por imagem.

FIDI e o Diagnóstico por Imagem em 2023.

A FIDI, uma referência no campo do diagnóstico por imagem, destaca-se por sua extensa capacidade operacional, realizando anualmente mais de 5 milhões de exames, um número expressivo que evidencia sua escala e alcance no setor. Essa cifra não apenas ressalta a robustez da organização, mas também reflete seu compromisso em atender a uma média de mais de 1,5 milhões de pacientes a cada ano, evidenciando seu papel fundamental na saúde e bem-estar da comunidade.

Vale destacar que a FIDI já atua com IA em diagnóstico por imagem e usa toda essa tecnologia para priorizar exames com achados críticos, por exemplo. Essa tecnologia está revolucionando a agilidade e precisão dos serviços prestados pela FIDI à sociedade. Esses exames com achados críticos são priorizados na lista de trabalho dos radiologistas, garantindo a atenção necessária no menor tempo possível. Com a capacidade de processar grandes volumes de dados e aprender com eles, a IA pode auxiliar os profissionais de saúde e otimizar o atendimento aos pacientes da FIDI.

 

Dentro de um mercado dinâmico e em constante evolução, a FIDI é reconhecida não apenas pela magnitude de seus serviços, mas também por sua adaptabilidade. A capacidade de se ajustar a mudanças significativas no setor é uma marca registrada da empresa, que se destaca por sua agilidade em enfrentar desafios emergentes. Seja diante de avanços tecnológicos, demandas regulatórias ou transformações nas necessidades dos pacientes, a FIDI está preparada para antecipar e responder a essas mudanças, oferecendo qualidade na entrega de serviços de diagnóstico por imagem.

Principais Tendências no setor de Diagnóstico por Imagem em 2024.

A evolução constante das tecnologias, as mudanças nas demandas dos pacientes e os avanços regulatórios moldam profundamente esse mercado de diagnóstico por imagem, tão crucial na área da saúde. Nesse contexto, estar atualizado e sensível às tendências é mais do que uma vantagem competitiva, é um requisito para oferecer serviços de qualidade, impulsionar a inovação e atender às necessidades em constante evolução dos pacientes e dos profissionais de saúde. Por isso, separamos algumas dessas tendências a seguir:

  • Imagens 3D, IA e Realidade Virtual: Prevê-se que mais de 70% dos hospitais e centros de saúde integrarão soluções de IA para análise de imagens médicas até 2030 (Fonte: Estudo da ABC Consulting);
  • Equipamentos Portáteis e Móveis: A miniaturização e portabilidade de dispositivos de imagem estão permitindo diagnósticos mais rápidos e acessíveis, inclusive em locais remotos; Um exemplo é o POCUS. A sigla POCUS significa Point-of-Care Ultrasound, que se refere ao uso de ultrassom portátil por médicos não radiologistas, especialmente em cenários de emergência. Essa técnica permite que médicos de diversas especialidades, como emergencistas, intensivistas, clínicos gerais e outros, utilizem equipamentos de ultrassom compactos para realizar exames e análises rápidas no próprio local de atendimento ao paciente;
  • Interoperabilidade: A interoperabilidade na saúde é fundamental para a integração eficaz de dados médicos e de saúde, permitindo que sistemas e dispositivos diversos compartilhem e interpretem informações de forma coerente. Essa integração é essencial para garantir a gestão eficiente da saúde do paciente, facilitando a colaboração entre profissionais de saúde, reduzindo erros, e promovendo uma visão abrangente e precisa do histórico clínico. Avanços em padrões e regulamentações estão impulsionando essa integração, visando criar um ambiente conectado que melhore a qualidade do cuidado ao paciente e promova uma assistência mais centrada e eficiente. (Fonte: Relatório de Atividades Abramed 2023);
  • Privacidade, LGPD e aumento do volume de dados: Com objetivo de conferir maior publicidade, previsibilidade, transparência e eficiência para o processo regulatório da Autoridade, possibilitando seu acompanhamento pela sociedade e trazendo maior segurança jurídica na relação com os agentes regulados, ANPD publica Agenda Regulatória 2023-2024 (Fonte: Ministério da Justiça e Segurança Pública);
  • Mercado Global de Diagnóstico por Imagem: Projeção de crescimento anual de aproximadamente 8-10% nos próximos cinco anos, alcançando um valor estimado entre 40 a 50 bilhões de dólares até 2028 (Fonte: relatório da XYZ Research).
Tendências no setor de Diagnóstico por Imagem em 2024.
Tendências no setor de Diagnóstico por Imagem em 2024.

Quer saber mais sobre o futuro do Diagnóstico por Imagem? Entre em contato pelo formulário abaixo .

 

Pular para o conteúdo